Now reading:

Pare de Tentar Ser Feliz

Audio Version

Pare de Tentar Ser Feliz

Se for necessário tentar ser legal, você nunca será legal. Se tiver que tentar ser feliz, você nunca será feliz. Talvez o problema hoje em dia é que as pessoas simplesmente estão tentando demais.

Felicidade, assim como outras emoções, não é algo que se obtém, mas sim algo que vem de dentro. Quando estiver furioso, chateado e jogando uma chavinha nas crianças do vizinho, você não está consciente do seu estado de raiva. Não pensa consigo mesmo: “Finalmente, estou com raiva? Estou fazendo isso direito? ”. Não, você está atrás de sangue. A raiva está dentro de você. Você é a raiva. E logo em seguida isso passa.

Assim como um homem seguro não se pergunta se é realmente seguro, um homem feliz não se pergunta se ele é feliz. Ele simplesmente é.

Isso quer dizer que a felicidade não é por si só alcançada, mas sim um efeito colateral de um conjunto de atitudes contínuas durante a vida. Isso é muito confundido, especialmente porque a felicidade é tão comercializada nos dias de hoje como um objetivo isolado. Compre X e seja feliz. Aprenda Y e seja feliz. No entanto não é possível comprar felicidade e não se pode alcançá-la. Simples assim. E será dessa forma uma vez que as outras partes da sua vida sejam colocadas em ordem.

FELICIDADE NÃO É O MESMO QUE PRAZER

Quando as pessoas procuram por felicidade, na verdade elas estão buscando prazer: boa comida, mais sexo, mais tempo para televisão e filmes, um carro novo, festas com amigos, massagens, perder 5 quilos, se tornar mais popular, e assim vai.

Mas enquanto sentir prazer é ótimo, não é o mesmo que felicidade. Prazer está relacionado com felicidade, mas não é o responsável por causá-la. Pergunte para alguém viciado em drogas como a busca pelo prazer termina. Pergunte à uma mulher adúltera que destruiu sua família e perdeu seus filhos se o prazer a tornou feliz. Pergunte a um homem que comeu até quase morrer como ele se sentiu com o prazer que obteve buscando a felicidade.

O prazer é um falso deus. Pesquisas mostram que pessoas que focam sua energia em prazeres superficiais e materialistas se tornam mais ansiosas, emocionalmente instáveis e menos felizes a longo prazo. O prazer é a forma mais superficial de satisfação e por isso mesmo a mais fácil.  Prazer é o que nos vendem, no que nos fixamos. É o que usamos para nos entorpecer e nos distrair. Mas só ele não é suficiente. É necessário algo mais.

NÃO É PRECISO BAIXAR AS EXPECTATIVAS PARA ALCANÇAR A FELICIDADE

Ultimamente tem se tornado comum dizer que as pessoas estão ficando infelizes porque somos todos narcisistas e crescemos ouvindo que somos especiais e únicos, que vamos mudar o mundo. Temos o Facebook constantemente mostrando o quanto a vida das outras pessoas é maravilhosa, mas a nossa não, então nos sentimos como lixo e nos perguntamos o que deu errado. Ah, isso geralmente acontece aos 23 anos.

Me desculpe, mas não é assim. Dê mais crédito às pessoas do que isso.

Por exemplo, um amigo recentemente começou um negócio arriscado. Ele usou a maior parte de suas economias para fazer dar certo e fracassou. Hoje ele é mais feliz do que nunca por ter tido essa experiência. Ele aprendeu muitas lições sobre o que ele queria e o que não queria na vida, o que eventualmente o levou ao seu trabalho atual, que ele ama. Ele consegue olhar para trás e se orgulhar do que passou porque de outra maneira teria sempre se perguntado: “e se? ” E isso o tornaria mais infeliz do que qualquer fracasso.

A incapacidade de satisfazer as nossas próprias expectativas não é algo antiético, e eu diria que a habilidade de fracassar e ainda assim apreciar a experiência é na verdade uma pedra fundamental para a felicidade.

Se você pensou que estaria ganhando $100.000 por ano e dirigindo um Porsche assim que saísse da faculdade, então seu padrão de sucesso era distorcido e superficial, você confundiu seu prazer com felicidade e o soco doloroso da realidade batendo no seu rosto será uma das melhores lições que a vida terá lhe dado.

O argumento da “baixa expectativa” é vítima da mesma velha mentalidade: de que a felicidade vem de fora. A alegria da vida não é ter um salário de $ 100.000 por ano. É trabalhar para alcançar esse salário e depois trabalhar por um salário de $ 200.000 e assim vai.

Então eu digo: aumente suas expectativas. Prolongue o processo. Deite no seu leito de morte com uma lista de afazeres de um quilômetro de comprimento e sorria com as possibilidades infinitas que lhe foram dadas. Invente critérios ridículos para você e saboreie o fracasso inevitável. Aprenda com isso. Viva. Deixe que aconteçam rachaduras na terra e que as pedras rolem por cima de você, porque é assim que algo incrível cresce, através das rachaduras.

FELICIDADE NÃO É O MESMO QUE POSITIVIDADE

Grande é a chance de que você conheça alguém que aparenta estar sempre super feliz não importa qual é a circunstância ou situação. Grande chance de que na verdade essa é a pessoa mais problemática que você conhece. Negar emoções negativas nos leva a emoções negativas mais profundas, prolongadas e transtornos emocionais.

A realidade é muito simples: merdas acontecem. As coisas dão errado. As pessoas nos decepcionam. Erros são cometidos e emoções negativas aparecem. E tudo bem. Essas emoções são necessárias e saudáveis para manter uma base estável na vida de uma pessoa.

O truque com as emoções negativas é o seguinte: 1) demonstre-as de uma maneira socialmente aceitável e 2) expresse-as de forma que se alinhe com seus valores.

Um exemplo simples: um dos meus valores é dizer não à violência. No entanto, quando eu fico puto com alguém, eu demonstro essa raiva, mas também faço um esforço para não socar a cara dela. Ideia radical, eu sei. (Mas com certeza irei jogar uma chavinha nos filhos do vizinho. Me provoque para ver.)

Tem muitas pessoas por aí que se dizem seguidoras da ideologia “sou sempre positiva”. Essas pessoas devem ser evitadas tanto quanto alguém que acha que o mundo é um imenso monte de merda. Se o seu padrão de felicidade é estar sempre feliz, não importa o que aconteça, então você anda assistindo muito Leave it to Beaver (programa de comédia da tv norte-americana) e precisa de um choque de realidade. (Não se preocupe, prometo não te dar um soco na cara).

Acredito que parte da fascinação pela positividade obsessiva é a forma que nos vendem tal positividade. Acho que parte dela é submetida a pessoas felizes e sorridentes na televisão com frequência. E que parte dela também são pessoas da indústria de autoajuda que querem que você se sinta como se tivesse algo errado com você o tempo todo. Ou talvez nós é que somos preguiçosos e como qualquer outra coisa queremos o resultado sem ter que fazer o trabalho pesado.

O que me faz chegar na parte do que realmente resulta em felicidade…

FELICIDADE É O PROCESSO DE SE TORNAR O SEU “EU” IDEAL

Completar uma maratona nos torna mais felizes do que comer bolo de chocolate. Criar um filho nos faz mais felizes do que ganhar no vídeo game. Começar um negócio pequeno com amigos e se esforçar para ganhar dinheiro nos faz mais felizes do que comprar um computador novo.

E o mais engraçado é que todas as três atividades são extremamente desagradáveis e requer colocar expectativas altas com a probabilidade de falhar ao alcançá-las. Mesmo assim, são alguns dos momentos mais significativos da nossa vida. Envolve dor, sofrimento, até mesmo raiva e desespero, mas quando realizamos e olhamos para trás, nossos olhos se enchem de lágrimas.

Por quê?

Porque são essas atividades que nos permitem nos tornar nosso Eu ideal. É a busca infinita para nos realizar com nossa melhor versão, o que nos proporciona felicidade, independentemente de prazeres superficiais ou dor, emoções positivas ou negativas. É por esse motivo que algumas pessoas são felizes na guerra e outras são tristes em casamentos. E também porque alguns são empolgados para trabalhar enquanto outros odeiam festas. A personalidade que estão vivenciando não se alinha com o seu Eu ideal.

Não são os resultados finais que nos definem. Não é o fato de terminar a maratona que nos deixa felizes, e sim alcançar um objetivo de longa duração. Não é ter um filho incrível para exibir que nos torna felizes, mas saber que você se doou para o crescimento de outro ser humano que é especial. Não é o prestígio e o dinheiro vindos do novo empreendimento que te faz feliz, e sim o processo de superação das adversidades com pessoas com as quais se importa.

E esta é a razão que tentar ser feliz inevitavelmente lhe tornará infeliz. Porque tentar ser feliz significa que você não está sendo a sua melhor versão, não está alinhado com as qualidades da pessoa que gostaria de ser. Afinal, se estivesse agindo como seu Eu ideal, não sentiria a necessidade de tentar ser feliz.

Chavões sobre “encontrar a felicidade em si mesmo”, e “saber que você se basta”, não significa que a felicidade por si própria esteja em você, mas que ela acontece quando você decide buscar o que está em você.

É por esse motivo que a felicidade é tão passageira. Qualquer pessoa que tenha estabelecido seus objetivos de vida, apenas para alcançá-los e descobrir que sente a mesma intensidade de felicidade e tristeza, sabe que a felicidade sempre parece estar logo ali esperando você aparecer. Não importa o estágio em que você esteja na sua vida, sempre existirá aquela coisinha a mais a ser feita para ser especialmente super feliz.

E é por isso que o nosso Eu ideal está sempre logo ali, três passos à nossa frente. Sonhamos em nos tornar músicos e quando isso acontece, sonhamos escrever trilhas cinematográficas.

Quando escrevemos trilhas cinematográficas sonhamos em escrever um roteiro. E o que interessa não é alcançar cada um desses patamares de sucesso, mas sim o fato de estar constantemente indo em direção a eles, dia após dia, mês após mês, ano após ano. Os patamares vêm e vão e nós continuaremos buscando nosso Eu ideal ao longo de nossas vidas.

E com isso, no que diz respeito a ser feliz, aparentemente o melhor conselho é também o mais simples: Imagine quem você quer ser e busque isso. Sonhe grande e faça alguma coisa. Qualquer coisa. O simples ato de se mover vai mudar como você se sente sobre o processo todo e vai servir para te inspirar lá na frente.

Esqueça o resultado previsto – é desnecessário. A fantasia e o sonho são meras ferramentas para te encorajar. Não importa se vai acontecer ou não. Viva, cara. Apenas viva. Pare de tentar ser feliz e apenas seja.

Tradução de Flávia Machado

Join my newsletter and get a free ebook
"3 Ideas to Change Your Life"
Close: Don't show this again